Novidades

Bruno Fernandes na Feira - A Criatividade precisa de Liberdade e Espaço...8, 10, Alan Ruíz, Jesus!



Bruno Fernandes é actualmente um dos "motores" do Sporting 2017/2018 em todos os momentos do jogo. Bruno é um jogador constantemente "ligado" à corrente do jogo seja pela forma como "cria" o jogo através da tomada decisão com bola, seja pela liberdade de movimentos muito inteligentes sem bola quando o Sporting está em posse. Para além disso, na minha opinião tem sido um elemento fundamental na transição defensiva do Sporting.

Ontem, a passagem de Bruno para 8 em virtude da lesão de Piccini, na minha opinião retirou rendimento ao jogador não deixando de ter sido um dos melhores mais uma vez do Sporting.

Eu costumo dizer que criatividade precisa de liberdade e precisa de espaço! E para mim a entrada de Alan Ruíz tirou espaço de movimento a Bruno Fernandes, muito mais que a mudança da posição 10 para a posição 8 que normalmente no Sporting de Jorge Jesus tem uma liberdade muito menor que a posição 10.

Apenas nos primeiros 20 minutos da segunda parte, em que Alan Ruíz deu mais profundidade, deu mais mobilidade nos corredores laterais, aumentando o espaço entre linha média e defensiva do Feirense, permitiu a Bruno Fernandes o tal espaço, a tal liberdade de movimentos para ser criativo, para ser Bruno!

Com exceção desse período, Alan e Bruno entraram constantemente nos mesmos espaços e quando isso acontece a equipa tem menos um em organização ofensiva. Talvez Doumbia ou Podence fossem opções mais corretas na minha opinião para aumentar o espaço e movimentar-se da profundidade para a ligação e assim dar maior liberdade à movimentação e consequentemente aumentar a capacidade criativa de
Bruno na posição 8.

Um pouco como Oliver faz neste momento no Porto, em que o espaço é todo para ele no corredor central do setor médio.

Mas compreendo Jesus que respeitou uma excelente organização coletiva do Feirense que defende de uma determinada forma para potenciar um ataque eficiente, e claramente Alan, embora a sua forma desportiva deficiente compreende muito mais os momentos de organização defensiva e transição defensiva do que o avançado costa-marfinense.

Para finalizar com Bruno, o menino é um homem a jogar futebol, e naquele período melhor do Sporting, sabendo que não tinha espaço à profundidade, dava mobilidade para a largura para "pegar" no jogo, um pouco como gostava de fazer Lucho Gonzalez no Porto!

Isso é criatividade ofensiva, é ir em busca de dar condições à equipa para ganhar os espaços mais importantes do jogo, o espaço que permite a equipa progredir no terreno de jogo e chegar ao golo, mesmo podendo não ser o homem da bola, do passe, do golo! 

Acabou por ser na mesma...
Cláudio Costa

Sem comentários